Coluna do Josias Miguel: Acontecências #03

O CAPITÃO QUE VIROU SOLDADO RASO

A politica produz certas situações inusitadas, e rápidas.

Há apenas 12 anos atrás um Capitão da Policia Militar da Bahia, assumia a Prefeitura de Itabuna com a fenomenal e inigualável soma de mais de 52 mil votos. À época, alguns dos seus fiéis comandados montaram suas estratégias de campanha e plano de governo e chegaram a assumir secretarias, vez que competência não lhes faltavam. Sem tino para comando, o alcaide cuidou de desconhecer os outrora combatentes e formou novo contingente, porém composto de inexperientes para o embate político, assim como ele próprio.

Em 2012, nova batalha, novo contingente e nova derrota em campo. Em 2016, outra batalha, renovação de contingente e mais uma derrota. Em 2020, muda de campo de batalha, forma outro front, renovou a linha de frente, expurgando os velhos combatentes e mais uma derrota. Para o próximo ano haverá eleições para Deputados, Senadores, Governadores e Presidente da República, mas ao Capitão reconhecidamente incapaz de comandar tropa, só restará ser soldado raso. Segundo consta nos bastidores da política grapiuna o agora Soldado, ex Capitão, será comandado por um vice oficial, figurativamente falando. É o triste fim de quem “cuspiu no prato que comeu” , como diz no ditado popular.

ILHÉUS REVIVE TEMPOS DOS CORONÉIS

Na vizinha cidade de Ilhéus parece que o tempo não passou. Por lá, o chicote na mão ainda funciona. Manda quem pode e obedecem os frágeis e não adianta chorar.

O Poder Executivo encaminhou absurdo Projeto de Lei de reforma administrativa em que penaliza os setores que são vetores de desenvolvimento nas áreas ambientais, culturais, esportes e, pasmem, turismo. Não se deram ao trabalho de ouvir os segmentos envolvidos, seus representantes, nenhum ato que desse oportunidade à sociedade em contribuir. Quando da apreciação e votação do famigerado Projeto de Lei pela Câmara de Vereadores o Presidente da entidade,que há mais de 30 anos representa o Trade Turístico de Ilhéus, Atil, foi impedido de se pronunciar apesar da solicitação regimental feita pela Vereadora Enilda Mendonça.

O impacto econômico e social que sofrerá os segmentos penalizados pela reforma em questão são incomensuráveis, mas com certeza o ônus político eleitoral nos próximos pleitos de 2022 e 2024 sem dúvida será bem grande. Para toda ação sempre haverá reação.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.